MENU

11/11/2021 às 07h53min - Atualizada em 11/11/2021 às 07h53min

Morto a tiros de fuzil em Campo Grande, Jackson cursava faculdade e queria mudar de vida

Os planos dele não tinham nada a ver com o mundo do crime", afirmou o advogado

MIDIAMAX
Foto: Divulgação
Abalados e sem ainda entender o que aconteceu, familiares e amigos se despedem de Jackson Cláudio de Souza, de 33 anos, morto fuzilado na noite desta terça-feira (9), na saída para Sidrolândia, em Campo Grande. A vítima estava esperando o ônibus em frente ao curtume na BR-060 para retornar ao presídio semiaberto da Gameleira quando foi fuzilada.

O velório ocorreu na tarde desta quarta-feira (10), no Cemitério Parque, no bairro Pioneiros. O advogado Ailton disse ao Midiamax que a irmã de Jackson teria ido até a Universidade na manhã de terça (9) e pegou uma declaração para que ele pudesse terminar a graduação EAD de Transações Imobiliárias que estava fazendo. Jackson estava no 4º semestre.

"A gente está surpreso. Está todo mundo de boca aberta, família e amigos", comentou Ailton, que é quem estava cuidando dos casos de Jackson há cerca de 2 anos. "Os planos dele não tinham nada a ver com o mundo do crime", afirmou.

Ele disse ainda que Jackson queria mudar de vida. "Vou acabar com o que eu devo e vou cuidar da minha família, dos meus filhos, vou trabalhar e estudar", teria comentado com o advogado. 

Jackson era interno em regime semiaberto da Colônia Penal Agroindustrial da Gameleira e respondia a processos por furto qualificado, roubo, receptação e tráfico de drogas. "Se você ver o histórico criminal dele, não tem nada de muito violento que aponte para o que aconteceu", declarou o advogado.

O caso

Jackson Claudio de Souza, de 33 anos, foi morto com ao menos 28 disparos de fuzil 762, ele tinha 11 perfuração pelo corpo. A vítima, que havia começado a trabalhar no curtume na saída para Sidrolândia há uma semana, foi fuzilada no final da tarde desta terça-feira (9).

Ele era interno da Gameleira, unidade penal de regime semiaberto. Testemunhas disseram à polícia que os criminosos estavam em um Corsa prata e chegaram encapuzados, mandaram todos que estavam no local se abaixar e atiraram contra Jackson. Logo após a execução, os criminosos fugiram do local.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e constataram o óbito. A Polícia Militar, Polícia Civil e perícia foram ao local do crime. A perícia encontrou 28 balas de fuzil calibre 762.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »