MENU

18/10/2021 às 07h50min - Atualizada em 18/10/2021 às 07h50min

Queima de arquivo: encontrado morto na fronteira foi eliminado após matar mulheres em atentado

A ordem era para eliminar apenas ‘Bebeto’

MIDIAMAX
Foto: Divulgação
Derlis David Sanches Ayala de 23 anos, encontrado morto em uma estrada vicinal de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande, na noite de sábado (16) teria sido queima de arquivo.

A morte de Derlis seria por ele assassinar junto de Osmar Vicente Álvarez Grance, vulgo 'Bebeto', alvo do atentado, as outras três mulheres que estavam com ele saindo de uma casa noturna, no dia 9 deste mês. Junto do corpo de Derlis foi encontrado um bilhete onde dizia, “Matei 3 meninas inocentes que fique de exemplo PJ”.

Informações do site ABC Color, a morte de Derlis seria punição já que o grupo de criminosos de Derlis tinha ordem de eliminar, apenas, ‘Bebeto’ e acabou matando outras três pessoas, entre elas, a filha do governador de Amambay. Derlis seria sobrinho Márcio Ariel Sanches Gimenez, de 33 anos, conhecido como ‘Aguacate’, que é apontado como organizador do atentado. 

Derlis era alvo da polícia e do Ministério Público do Paraguai. Em imagens de câmeras de segurança, ele é visto com o carro usado no ataque que executou quatro pessoas, com mais de 100 tiros. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »