MENU

23/04/2021 às 08h21min - Atualizada em 23/04/2021 às 08h21min

Alunos do 9º ano resgatarão memória do projeto de reforma de escolas por presos

MS.GOV.BR
Foto: Divulgação
 

Por meio do projeto escolar "Visitando Memórias", ao longo desse ano, alunos do 9º ano da Escola Estadual Aracy Eudociak – reformada em 2018 pelo projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", resgatarão a história dessas reformas de escolas públicas estaduais da capital, executadas e custeadas por presos.

O trabalho é possível graças a uma parceria da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, por meio da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, e a Secretaria Estadual de Educação (SED).

Desde sua reforma em 2018, a instituição de ensino desenvolve um projeto de conservação do patrimônio escolar. A partir deste ano, a direção escolar, junto aos professores, decidiu transformar num projeto de curso que será desenvolvido anualmente pelos alunos do 9º ano na disciplina de Projeto de Vida.

De acordo com a diretora da escola, Gisele Bacanelli, “a intenção é que os alunos façam pesquisas em torno do Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade, resgatando como surgiu a ação, como é operacionalizado, quais recursos são disponibilizados. Os alunos também serão incentivados a entrevistar os envolvidos, como o juiz, o diretor do presídio, o agente penitenciário encarregado das obras, etc., além de trabalhar com registros fotográficos e filmagens”. O resultado do trabalho de cada grupo deve ser apresentado no mês de novembro para toda a comunidade escolar.

Desse modo, os alunos terão muito o que explorar, comenta a diretora. “A ideia é que os alunos façam um apanhado fotográfico, então para isso, precisarão praticar e estudar um pouco de fotografia, o mesmo vale caso optem por filmagens, entrevistas com os profissionais envolvidos, edição de imagens e a produção dos textos, pesquisa da história, etc. E, quem sabe dentro destas diversas possibilidades que o projeto abre, o aluno possa encontrar ali um segmento profissional. Pode surgir daí um direcionamento entre os alunos, ou seja, sabemos como o projeto vai começar, mas não qual vai ser o alcance final do trabalho”, complementa.

Assim, ao abordar as ações do "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", de um lado os alunos trabalharão a conservação do patrimônio escolar, mantendo atualizada para a comunidade escolar a memória do projeto que revitalizou a escola, fortalecendo o vínculo de pertencimento com a unidade escolar e, de outro lado, estará aguçando os estudantes a refletirem sobre a construção de seus próprios projetos de vida, permitindo que vislumbrem uma realidade melhor que a atual para a vida deles, incentivando a continuidade nos estudos e na formação profissional.

Iniciativa

A disciplina de Projeto de Vida está incluída no currículo escolar e começou a ser operacionalizada no ano passado na rede estadual. Todo ano será desenvolvido o projeto "Visitando Memórias" dos temas mais diversos. Para o ano de 2021 o tema é a memória do projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade".

Cerca de 120 alunos de quatro turmas do 9º ano da E. E. Aracy Eudociak estarão à frente das ações, sendo que, neste momento, por conta da pandemia, elas serão direcionadas a atividades remotas.

As reformas de escolas públicas estaduais da capital são realizadas com a mão de obra de presos do regime semiaberto. Além disso, utiliza para o custeio das obras os recursos arrecadados com o desconto do salário dos presos, previsto no art. 29, parágrafo 1º, "d", da Lei de Execução Penal.

Tatyane Santinoni, Agepen

Com informações do TJMS


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »