MENU

16/08/2021 às 08h45min - Atualizada em 16/08/2021 às 08h45min

Tropas afegãs desertam em massa e Talebã ocupa embaixada dos EUA

Os servidores do governo dos EUA receberam a ordem de destruir materiais sensíveis como artigos que “poderiam ser usados indevidamente em esforços de propaganda” das forças nativas, com a orientação de eliminar qualquer material confidencial que contivesse a bandeira de estrelas e listas.

CORREIO DO BRASIL
O comandante talebã Maulana Mohamed determinou a ocupação de setores estratégicos de Cabul
As Forças Armadas regulares do Afeganistão depuseram armas, na tarde deste domingo, após o Talebã assumir, formalmente, o governo do país com a tomada da capital Cabul. Armados com os famosos rifles russos Kalashnikov (AK), homens do grupo radical islâmicos ocuparam o prédio da embaixada norte-americana, de onde os funcionários foram evacuados há apenas algumas horas.

Os servidores do governo dos EUA receberam a ordem de destruir materiais sensíveis como artigos que “poderiam ser usados indevidamente em esforços de propaganda” das forças nativas, com a orientação de eliminar qualquer material confidencial que contivesse a bandeira de estrelas e listas; além do logotipo da embaixada e outros símbolos de agências de inteligência.

A ordem denominada “serviços de destruição de emergência” foi transmitida na noite passada, em meio à evacuação total dos diplomatas norte-americanos com apoio de militares, devido à crescente ofensiva da organização extremista islâmica.

População civil

Uma fonte diplomática consultada pela rede norte-americana de TV CNN relatou que uma avaliação da inteligência já alertara, há uma semana, que Cabul seria cercada pelos talebãs, que agora retoma o controle total do Afeganistão.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, que deixou o país rumo ao Tajiquistão, segundo a agência inglesa de notícias Reuters, estaria tentando uma passagem segura até Londres. Segundo informou em um comunicado na manhã deste domingo, assinado por um dos comandantes do grupo, o afegão Maulana Mohamed, o Talebã ordenou que seus combatentes permaneçam nos pontos de entrada da capital — citando o risco para a população civil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »