MENU

13/08/2021 às 09h44min - Atualizada em 13/08/2021 às 09h44min

Tio que estuprou sobrinha jogada em pedreira de MS é encontrado morto em presídio

Ele havia sido transferido na tarde desta quarta-feira e é acusado de participar do estupro da sobrinha

MIDIAMAX
Foto: Divulgação

Tio da menina de 11 anos, Raíssa da Silva Cabreira, preso por participar do estupro da adolescente, foi encontrado morto na cela da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) na tarde desta quinta-feira (12). A Polícia Civil ainda investiga se o caso é consequência de um homicídio ou suicídio.

Conforme as primeiras informações, apuradas pelo Jornal Midiamax, a perícia está no local e constatou o óbito. Eles moravam juntos, na mesma residência.

A adolescente não morava com a mãe e o tio estava dormindo, bêbado, quando Raíssa foi arrastada pelos adolescentes,também apreendidos, por volta das 22 horas de domingo (8). Até o horário que indígenas da Aldeia Bororó encontraram o corpo dela, caído de um paredão de 20 metros, passaram-se cerca de oito horas.

Ainda conforme a Polícia Civil, o tio foi procurar Raíssa porque ela não estava em casa. Dois dos três adolescentes apreendidos levaram a menina de casa, a força.“Ao que se sabe ela estava gritando e pedindo ajuda. O tio chegou ao local quando tudo já estava ocorrendo”, afirmou o delegado Erasmo Cubas, do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Dourados.

Além do tio e dos adolescentes, Leandro Pinosa, de 20 anos, foi preso. O tio que já abusava da menina desde os 5 anos dela, flagrou o momento em que os quatro acusados do crime estupravam a menina. Ele acabou participando da sessão de estupro contra a sobrinha que havia sido arrastada para o local pelos autores, que planejaram o crime de estupro.

Ainda de acordo com o delegado, os acusados embebedaram a criança para continuar a cometer os abusos. Quando ela recobrou a consciência e tentou se desvencilhar dos autores, foi arrastada para a beirada da pedreira, quebrando os braços em uma tentativa de se defender, mas acabou jogada viva de uma altura de 20 metros.

Três adolescentes, um jovem e o tio da criança foram detidos e levados para a delegacia. Quando o tio foi questionado sobre os motivos que o levaram a cometer o crime, ele disse que estava bêbado. O laudo do exame feito na vítima constatou o estupro. Ela tinha lacerações nos órgãos genitais. Ao todo, sete pessoas foram levadas para a delegacia para serem ouvidas nesta segunda (9).

O corpo de Raíssa, indígena da etnia Kaiowá, foi encontrado dilacerado com a queda de um paredão entre as aldeias Bororó e Jaguapiru. O local é costumeiramente utilizado pelos indígenas de duas aldeias para consumo de bebidas alcoólicas e até uso de drogas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »