MENU

16/07/2021 às 08h18min - Atualizada em 16/07/2021 às 08h18min

Tratamento do presidente Bolsonaro prossegue ainda sem data de alta hospitalar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é tratado por medicamentos e outros procedimentos não invasivos. Nos últimos dias, Bolsonaro enfrentava uma crise de soluços. O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), manteve agenda anteriormente prevista. Depois de viajar na noite passada, deve ficar em Angola até domingo.

CORREIO DO BRASIL
Foto: Divulgação
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), internado no Hospital Vila Nova Star, na capital paulista após ser diagnosticado com obstrução intestinal, ainda não tem uma data especificada para alta hospitalar. A equipe médica informou que, por enquanto, está descartada necessidade de cirurgia e que, desse modo, Bolsonaro será submetido a “tratamento conservador”.

Bolsonaro é tratado por medicamentos e outros procedimentos não invasivos. Nos últimos dias, Bolsonaro enfrentava uma crise de soluços. O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), manteve agenda anteriormente prevista. Depois de viajar na noite passada, deve ficar em Angola até domingo.

“O senhor presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi transferido na noite desta quarta-feira para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal”, informa o boletim médico divulgado.

Equipe médica

O informe é assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo (cirurgião-chefe), Ricardo Camarinha (cardiologista do presidente), Leandro Echenique (clínico e cardiologista), Antônio Antonietto (diretor médico do hospital) e Pedro Henrique Loretti (diretor-geral do hospital). Não foi informado por quanto tempo Bolsonaro deverá permanecer internado para o tratamento.

A decisão de transferir Bolsonaro para São Paulo foi tomada pelo médico Antonio Luiz Macedo, responsável pelas cirurgias no abdômen do presidente. Macedo, que é cirurgião gástrico, atendeu o Bolsonaro após a suposta facada na eleição de 2018. Desse modo, acabou cancelada a agenda do presidente. Ele se reuniria nesta quinta-feira com os presidentes do Legislativo e do Judiciário na tentativa de superar a crise institucional porque passa o Brasil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »