MENU

17/06/2021 às 08h14min - Atualizada em 17/06/2021 às 08h14min

Procuradoria de Coxim encaminha infrações por quebra de isolamento ao Ministério Público

EDIÇÃO MS
Foto: Divulgação
Os autos de infrações aplicados contra quem quebrou o isolamento social, estando infectado pelo Coronavírus (Covid-19), já foram encaminhados ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). A informação é da procuradoria Jurídica da Prefeitura de Coxim.

Agora, o promotor responsável pelos casos vai analisar se os infratores cometeram crimes e, consequentemente, apresentar denúncias à Justiça. Vale ressaltar que, independente da ação judicial, os infratores já foram autuados. As multas começam com R$ 2.030,48 e podem chegar a R$ 16.124,40.

No Código Penal constam pelo menos quatro artigos que punem atitudes relacionadas ao desrespeito à determinação de isolamento, medida aplicada a pacientes diagnosticados com Coronavírus.

O artigo 267, prevê como conduta criminosa o ato de causar epidemia, disseminando agentes patogênicos (vírus, germes, bactérias, entre outros). A pena prevista é de 10 a 15 anos de reclusão. Caso a epidemia causada resulte em morte, a pena é aplicada em dobro. Se a pessoas causou a epidemia sem intenção, ou seja, de maneira culposa, a pena é mais branda, 1 a 2 anos de detenção ou 2 a 4, se houver morte.

No artigo 268, a conduta considerada como ilícita é a violação de determinação do poder público, que tenha finalidade de evitar entrada ou propagação de doença contagiosa, tais como isolamento ou quarentena. Quem desrespeitar as medidas sanitárias impostas pode ser condenado a uma pena de 1 mês a 1 ano de reclusão além de multa.

Já no artigo 131, consta a previsão do crime de perigo de contágio de doença grave. Todavia, para configurar a conduta criminosa é necessário que a pessoa pratique ato de contaminação de maneira intencional, ou seja, com a finalidade de passar a doença para outras pessoas. A pena é de 1 a 4 anos de reclusão e multa.

Outro crime que pode ser atribuído é o descrito no artigo 132. A conduta recriminada nesta norma é a exposição da vida ou saúde de outra pessoa a perigo. Algo que pode acontecer caso o infectado com Covid-19, ciente de sua condição, descumpra a determinação de isolamento ou outras medidas impostas para evitar a propagação da doença.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »